Ministério da Saúde suspende temporariamente repasse de vacina BCG para São Leopoldo


A Secretaria da Saúde (Semsad) alerta para o baixo estoque da vacina BCG em São Leopoldo. O desabastecimento vem ocorrendo desde o final do ano passado por responsabilidade do Governo Federal. Outras cidades e estados também sofrem com o problema. O Ministério da Saúde emitiu nota informativa alegando a indisponibilidade de estoque. A previsão de reabastecimento é para o mês de março.

São Leopoldo aplica regularmente 200 doses de BCG por mês. Em dezembro, a Semsad recebeu 80 doses e em janeiro não houve abastecimento.



São Leopoldo oferta a vacina BCG no Hospital Centenário e nas unidades de saúde: Materno Infantil, Campina, Scharlau e Rio Branco. A centralização tem como objetivo facilitar o atendimento e aproveitar ao máximo todas as doses, visto que o imunizante, depois de aberto, deve ser aplicado em até seis horas. “Estamos otimizando o uso das doses para não haver desperdício. Mas apesar do nosso empenho, o fornecimento não depende do município e sim do repasse da União e da distribuição do Estado”, destacou o secretário Ricardo Charão.


Sobre a vacina

A vacina protege os recém-nascidos das formas mais graves da tuberculose e deve ser tomada nas primeiras horas de vida. Deve ser aplicada preferencialmente nos primeiros dias após o nascimento, mas pode ser aplicada até a idade de 4 anos, 11 meses e 29 dias.


[Jornalista Romeu Finato| MTb 12042 | Superintendência de Comunicação-Scom/PMSL]


ÚLTIMAS DE SãO LEOPOLDO

%d blogueiros gostam disto: